• Cristiane Sales

Projeto contra o coronavírus em Caruaru é destacado por artigo internacional



Um artigo científico recém-publicado pelo International Journal of Medical Informatics, uma publicação de Informática Médica, destacou experiência positiva de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, uma das cidades parceiras do Movimento Brasil Sem Corona. Essa ação é liderada pela Epitrack, que trabalha na detecção de epidemias, junto com a startup Colab, aplicativo de engajamento de cidadãos e governos.


Por meio dessa plataforma colaborativa, com o uso dos dados, da ciência e da participação popular, o poder público local conseguiu ser mais assertivo na priorização das áreas para testagem para a detecção da infecção pela Covid-19. Até então esse era um recurso que era escasso, já que a Prefeitura de Caruaru não dispunha de um grande orçamento financeiro para a compra de testes - que nos primeiros meses de pandemia também tinha o agravante de não ser facilmente encontrado no mercado.


Para realizar o monitoramento, os cientistas dividiram a cidade em 18 regiões. A mescla do resultados dos questionários, respondidos por pacientes sintomáticos e pessoas sem sintomas na plataforma do Colab, combinado com os dados da Prefeitura de Caruaru estimou que em duas das áreas o número de infectados estaria entre 34% e 38%, sendo que o número final foi de 32%, o que mostra uma taxa de assertividade de 84% a 94%. Isso norteou a escolha das autoridades locais para a priorização da testagem.


A Prefeitura também realizou testes em outras regiões do município, dos quais apenas 3% reagiram para Covid-19. Portanto, o direcionamento feito pelo cientistas apresentou um resultado 10 vezes maior do que a realização do testes em outros locais aleatórios. Caruaru, de cerca de 280 mil habitantes, é a maior cidade da região Agreste de Pernambuco, por isso acaba sendo uma referência para toda a macrorregião. Até este, o município registrou mais de 7 mil casos da doença, com cerca de 300 mortes*.


O artigo foi assinado por Onicio Leal, epidemiologista e PhD em Saúde Pública, cofundador da startup Epitrack, à frente do Movimento Brasil Sem Corona, e pelos pesquisadores, Francisco Santos (secretário da Saúde de Caruaru), Júlia Lee, Jones Albuquerque e Wayner Souza. A publicação foi revisada por pares, ou seja, analisada por especialistas, que atestam o valor científico do estudo.


De acordo com os pesquisadores, a importância do experimento descrito no artigo foi ter sugerido a eficácia da aplicação da vigilância participativa, ou seja, de dados fornecidos pela própria população de maneira colaborativa por meio de um aplicativo, para o direcionamento de testagem, já que a escassez de recursos é uma realidade nos municípios brasileiros, especialmente nos de pequeno e médio porte.

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar