banner1.jpg
  • Emannuel Bento

Cremepe promove lives especiais para o Setembro Amarelo





O Cremepe (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco) está promovendo uma série de lives com temáticas que dialogam com o Setebro Amarelo, campanha realizada para discutir a saúde mental na contemporaneidade, sobretudo diante de um contexto de pandemia que desencadeou diversos gatilhos (como isolamento, violência doméstica, luto, desemprego). O projeto será realizado no canal do YouTube (youtube.com/user/Cremepe) e página do Facebook (facebook.com/cremepe) da instituição.


Nesta quinta-feira (17), partir das 19h, a 4ª onda da Covid é o tema da primeira live da programação, com apresentação do médico psiquiatra Antônio Geraldo e moderação do também psiquiatra Antônio Peregrino. A programação tem continuidade nos próximos dias 22 e 24 de setembro, a partir das 20h, respectivamente, com os temas: Suicídio e Covid-19, apresentada pela psiquiatra Kátia Petribú e moderação de Mabel Cavalcanti e Comportamento Suicida: o que o clínico precisa saber?, com o psiquiatra Leonardo Machado e Anderson Armstrong.


Nesta quinta-feira (17), a tal “onda” citada na live de estreia envolve os impactos da doença na saúde mental da população, seja por traumas psíquicos causados por acontecimentos específicos ou piora do adoecimento psiquiátrico pré-existente. Na ocasião, serão tratados pontos como: o papel da sociedade na promoção da saúde e na prevenção das doenças mentais, com foco na campanha Setembro Amarelo da ABP e do CFM.


A conselheira do Cremepe e médica psiquiatra, Milena França, explica a importância da campanha do Conselho voltada ao Setembro Amarelo. “O suicídio é uma emergência médica, por isso é importante alertar a comunidade a respeito dos números alarmantes que envolvem este problema. No mundo a cada 40 segundos acontece um suicídio. Isso é estarrecedor, é preciso agir.”, afirmou.


Múltiplos fatores podem estar por trás de um possível aumento do risco de suicídio. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas se suicidam por ano em todo o mundo. No Brasil são quase 12 mil casos por ano. Segundo Milena França, os pensamentos suicidas têm relação, em sua maioria, com problemas psíquicos de base, como a ansiedade, estresse e depressão. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.


Segundo Antônio Geraldo, a ansiedade pela incerteza do futuro quanto ao trabalho e à vida financeira, o medo de contaminar-se, de transmitir a doença aos familiares mais próximos pode atrapalhar na qualidade de vida e ditar o dia a dia do indivíduo, tornando a pandemia um gatilho para problemas psíquicos.


“A sensação de medo do desconhecido e das consequências que ainda estão por vir é um dos principais relatos das pessoas quando se fala das implicações do atual cenário”, explica Antônio. “É natural, e até mesmo saudável, que haja uma certa dose de preocupação, visto que é uma situação inédita para muitos de nós e que é necessária uma adaptação. A ansiedade é uma reação natural e nos propicia maiores chances de nos prepararmos para possíveis desafios e soluções. Entretanto, quando o medo começa a tomar proporções prejudiciais, é preciso acender o sinal de alerta.”


SERVIÇO

Setembro Amarelo do Cremepe

Onde: youtube.com/user/Cremepe e facebook.com/cremepe

Quando: 17 de setembro, às 19h, e 22 e 24 de setembro, às 20h

Quanto: Gratuito

Artigo02.png
banner2.jpg
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo