• Cristiane Sales

Pernambuco totaliza 45.261 casos confirmados do novo coronavírus



A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, neste domingo (14/06), 590 novos casos da Covid-19 em Pernambuco. Entre os confirmados hoje, 184 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 406 como leves. Agora, Pernambuco totaliza 45.261 casos já confirmados, sendo 17.103 graves e 28.158 leves. Além disso, o boletim registra 28.770 pessoas curadas da Covid-19 no Estado. Desse total, 7.243 são de casos graves e 21.527 casos leves. Os casos graves confirmados da doença estão distribuídos por 168 municípios pernambucanos, além do Arquipélago de Fernando de Noronha e da ocorrência de pacientes em outros Estados e países. Também foram confirmados laboratorialmente 71 óbitos (sendo 39 do sexo masculino e 32 do sexo feminino). Os novos óbitos confirmados são de pessoas residentes nos municípios de Recife (43), Jaboatão dos Guararapes (6), Caruaru (4), Palmares (2), Barreiros (1), Camaragibe (1), Carnaíba (1), Catende (1), Custódia (1), Garanhuns (1), Igarassu (1), Joaquim Nabuco (1), Limoeiro (1), Maraial (1), Paulista (1), Petrolina (1), Quipapá (1), Ribeirão (1), São José da Coroa Grande (1) e Vitória de Santo Antão (1). Com isso, o Estado totaliza 3.855 mortes pela doença. Do total de hoje, 52 óbitos (73,2%) ocorreram entre os dias 19 de abril e 10 de junho e 19 (26,8%) ocorreram nos últimos três dias. Os pacientes tinham idades entre 24 e 97 anos. Dos 71 pacientes que vieram a óbito, 49 apresentavam comorbidades confirmadas: hipertensão (24), doença cardiovascular (13), diabetes (13), obesidade (8), doença renal (5), doença respiratória (3), câncer (3), tabagismo/histórico de tabagismo (2), histórico de AVC (2), doença hematológica (1), doença de Parkinson (1), infecção do trato urinário (1), doença de Alzheimer (1), vasculopatia (1), neuropatia (1) e etilismo (1) - um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Outros seis não tinham comorbidades e os demais estão em investigação pelos municípios. As faixas etárias são: 20 a 29 (1), 30 a 39 (2), 40 a 49 (4), 50 a 59 (10), 60 a 69 (20), 70 a 79 (15), 80 ou mais (19). Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 13.726 casos foram confirmados e 15.067 descartados. As testagens abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Estado foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar os profissionais da área da saúde. AGAMENON MAGALHÃES


Neste domingo (14/06), o Hospital Agamenon Magalhães (HAM) completa 67 anos de serviços prestados à população pernambucana. Diferente dos anos anteriores, a unidade não fará comemoração. Devido à pandemia da Covid-19, a instituição está focada no atendimento aos pacientes suspeitos e confirmados da doença, além de estar mantendo a assistência nas suas emergências cardiológica, de clínica médica e de otorrinolaringologia para o público em geral, seguindo todas as medidas de segurança e higiene para proteção de pacientes e colaboradores. Para o enfrentamento à Covid-19, o HAM precisou fazer readequações em sua estrutura física e na dinâmica de trabalho para o acolhimento do público. Atualmente, estão em funcionamento 60 leitos de terapia intensiva (UTI) exclusivos para os pacientes suspeitos e confirmados do novo coronavírus, colocando o serviço entre os que disponibilizam o maior número de vagas de terapia intensiva no Estado. Além disso, há 30 leitos de estabilização com suporte de oxigênio na emergência geral e 47 de enfermaria. Até a última sexta-feira (12/06), o hospital já atendeu 731 pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19. Para atingir esse número de leitos, o Hospital Agamenon Magalhães foi reforçado com mais de 400 profissionais de saúde de diversas especialidades médicas, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e técnicos de laboratório. Também precisou passar por uma readequação interna, para estruturar de forma mais adequada espaços específicos para pacientes suspeitos ou confirmados da doença, incluindo a criação de uma triagem externa para o primeiro atendimento da população que chega à unidade, seja por regulação ou demanda espontânea. “O HAM tem uma grande importância na rede estadual de saúde, em especial nos seus serviços de referência, como a saúde auditiva, cardiologia, endocrinologia, cirurgia bariátrica, o Serviço de Atendimento à Mulher vítima de violência e a maternidade de alto risco. Com uma grande emergência clínica e serviço de terapia intensiva de referência e diante da emergência sanitária trazida pela Covid-19, o serviço disparou uma série de mudanças estruturais e no seu fluxo de atendimento, garantindo, com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde, a possibilidade de assistir os pernambucanos acometidos nesta pandemia. Tem sido uma experiência de fortalecimento da gestão e da assistência e da humanizacao do serviço, resultante da resposta das lideranças, gestores e servidores do HAM imbuídos nessa grande missão. Não poderia ser diferente e estar nessa luta faz o nosso orgulho na data dos 67 anos. Sem dúvida, um aniversário com as marcas do desafio, união e solidariedade”, afirma a diretora do Hospital, Cláudia Miranda.


#CoronavírusemPernambuco #coronavírus #Covid19 #SESPE #HospitalAgamenonMagalhães

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar