• Ana Carla Santiago

Saúde Digestiva: Organização Mundial de Gastroenterologia chama atenção para a importância do microb



O objetivo da data é alertar a população sobre a prevenção e o diagnóstico correto e precoce em relação às doenças do aparelho digestivo.


O Dia Mundial da Saúde Digestiva é celebrado neste 29 de maio, com o intuito de alertar a população sobre a prevenção e o diagnóstico correto e precoce em relação às doenças do aparelho digestivo. Neste ano, a Organização Mundial de Gastroenterologia (OMG) escolheu homenagear microbioma intestinal, chamando a atenção para o seu papel na saúde, como ajudar na digestão e na absorção de nutrientes. Além disso, ele auxilia na prevenção e na regulação de infecções em todo o organismo, desde problemas respiratórios, doenças metabólicas, inflamatórias, trato urinário alergias, até as doenças do próprio intestino.


Diversos problemas corriqueiros estão relacionados à saúde digestiva, como azia, refluxo e constipação intestinal (prisão de ventre), por exemplo. As doenças mais frequentes são a do Refluxo Gastroesofágico, a Dispepsia funcional (ou má digestão), a síndrome do intestino irritável e as diarréias agudas. Alguns problemas mais graves podem estar relacionados ao aparelho digestivo, como as hepatites e câncer (fígado, pâncreas, intestino e colorretal).


O alimento é um dos mais importantes fatores para prevenir a boa saúde digestiva. De acordo com Cláudia Cristina de Sá, gastroenterologista e médica assistente do Hospital das Clínicas/UFPE, Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) e Real Hospital Português (RHP), o tipo de alimentação interfere na microbiota intestinal, assim como no bom funcionamento do Trato Gastrointestinal (TGI). “Uma alimentação em pequenas porções, variada e equilibrada em nutrientes (carboidratos, gorduras e proteínas), rica em vitaminas, sais minerais e fibras, protege o TGI, além de permitir o seu melhor funcionamento”, pontua Cláudia. Evitar refrigerantes, excesso de chás e uma alimentação pobre em frutas e legumes são outras dicas da médica.


As doenças digestivas podem ocorrer em qualquer idade, mas, segundo Cláudia, é preciso estar atento aos indivíduos com mais de 50 anos. Por isso, investir desde cedo em uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos, ingerir bastante água e tomar medidas que evitem o estresse são ótimas maneiras de prevenir os problemas ligados ao aparelho digestivo em geral.


Outro ponto que merece atenção é a relação do novo coronavírus com a saúde digestiva. Diversos estudos e pesquisas estão sendo realizados em todo o mundo para descobrir se o vírus tem alguma relação com os problemas digestivos, já que diversos pacientes apresentaram sintomas como diarreia, dores abdominais e vômitos. “O coronavírus pode comprometer o intestino, causando diarreias, e também o fígado. Para prevenir isso, devemos nos proteger da infecção: manter o distanciamento de pelo menos 2 metros entre as pessoas, utilizar máscara de qualidade e realizar a higiene das mãos com frequências, com água e sabão ou álcool em gel 70%. Além disso, manter a limpeza do ambiente e suas superfícies”, reforça a gastroenterologista.


Coronavírus e a saúde digestiva


Alguns estudos já indicam que, além dos principais sintomas como febre, tosse seca e falta de ar, os pacientes acometidos pelo novo coronavírus podem desenvolver problemas gastrointestinais, afetando diretamente o sistema digestivo. As descobertas foram resultados de uma pesquisa conjunta entre o Hospital Renmin, da Universidade de Wuhan, e do Instituto Wuhan de Virologia da Academia Chinesa de Ciência, localizados na China.



#SaúdeDigestiva #DiaMundialdaSaúdeDigestiva #OrganizaçãoMundialdeGastroenterologia #microbiomaintestinal #Digestão #alimentaçãosaudável #EducaçãoAlimentar #coronavírus #Covid19

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar