• Ana Carla Santiago

Governo de Pernambuco avalia a implantação do lockdown


Medida de restrição máxima, ou bloqueio total, é avaliada para evitar colapso no sistema de saúde e diminuir o contágio pela Covid-19.


Até o dia 07 de maio, Pernambuco totalizava mais de 10 mil casos confirmados da Covid-19, sendo 6.302 graves e 4.522 leves. Ao todo, são 845 mortes causadas pelo novo coronavírus. Números que preocupam a população e estão crescendo desenfreadamente, enquanto o Sistema de Saúde do Estado, assim como a rede privada, já está sobrecarregada e sem leitos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Atualmente, 99% dos leitos de UTIs de Pernambuco estão ocupados, como também 88% das suas enfermarias. Diante de um cenário amedrontador como este, pesquisadores, especialistas e representantes políticos estão em defesa e recomendando o chamado lockdown em todo o estado.


O lockdown é uma medida de restrição máxima, ou seja, um bloqueio total e mais rigoroso da circulação de pessoas, a não ser em situações de emergência e necessidade comprovada. A medida tem como objetivo diminuir os riscos de transmissão do novo coronavírus e dar tempo para que o sistema de saúde possa reorganizar a sua estrutura e não entre em colapso. A medida já foi aderida por outros estados brasileiros, como Ceará, Maranhão e Pará.


O Instituto para Redução de Riscos de Desastres de Pernambuco (IRRD-PE), coordenado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), defendeu a implantação do lockdown no estado pernambucano, visto que em apenas 30 dias, houve um aumento de quase 930% no número de municípios pernambucanos afetados pela pandemia, de acordo com Hernande Pereira, coordenador do IRRD-PE.


O Comitê Científico do Consórcio Nordeste também defendeu o lockdown em toda a região, com a justificativa de que há um grande aumento de casos nos interiores dos estados e, a partir do exemplo de outros países que adotaram a medida, a contaminação irá diminuir e vidas serão preservadas. Segundo a Assessoria de Comunicação do Governo de Pernambuco, o lockdown está sendo estudado e estão sendo realizadas avaliações do dia a dia do estado, além das medidas de restrição e isolamento que já foram tomadas. “Pernambuco já vem tomando providências severas quanto ao isolamento, mas não descartamos a possibilidade de ampliá-las”, afirmou a assessoria. Vale lembrar que o Governo do Estado já solicitou, por ofício, o apoio do Comando Militar do Nordeste (CMNE) para intensificar as ações de restrição, mas o CMNE aguarda a deliberação do Ministério da Defesa.


Lockdown pelo Brasil


Diante de um cenário cada vez mais preocupante por causa da Covid-19, diversos estados brasileiro já adotaram o lockdown. No Maranhão, a medida de circulação restrita já está valendo na capital, São Luís, e em mais três municípios. No Pará, dez municípios aderiram ao lockdown, inclusive a capital Belém. Nos dois casos, a circulação sem máscara está totalmente proibida e serão feitos bloqueios de vias e fiscalização nas ruas. Quem for ao trabalho ou precisar de algum serviço essencial, deve portar a identidade e a carteira de trabalho.


Já no Ceará, a medida começa a valer a partir desta sexta-feira (08) em Fortaleza, capital do estado. A circulação de pessoas e veículos só deve ocorrer com justificativa plausível e também haverá controle nas entradas e saídas da cidade.



#CoronavírusemPernambuco #coronavírus #Covid19 #Lockdown

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar