• Ana Carla Santiago

Síndrome Nefroneural: Neurologista fala sobre sintomas, tratamento e prevenção



No início de 2020, notícias de que ao menos oito pessoas teriam sido internadas em Belo Horizonte (BH), com suspeitas de intoxicação, tomaram conta dos jornais brasileiros. A causa era um mistério que já foi descoberto: intoxicação após o consumo de uma cerveja produzida pela cervejaria mineira Backer. Até o momento, 17 pessoas foram internadas após ingerir a cerveja e quatro mortes já foram confirmadas pela Polícia Civil do estado.


A substância tóxica é a dietilenoglicol, usada no processo de resfriamento na fabricação da bebida, que pode levar à síndrome nefroneural. É um composto químico produzido como anticongelante, geralmente utilizado em motores de carro, para evitar o congelamento ou a fervura da água do radiador. A substância também é usada para fabricar cervejas, mas deve ser usada como muito cuidado: o ideal é que fique fora do processo de produção, em um recipiente, e só deve ser usada na parte de resfriamento, para evitar que a água usada na fabricação congele. Não foi o que aconteceu com a cerveja da Backer. Após análises da bebida, o resultado mostrou que o dietilenoglicol estava presente na água usada na produção do produto. Caso entre em contato com o corpo humano, pode causar o que chamamos de síndrome nefroneural.


A síndrome é um conjunto de sinais e sintomas que caracterizam alguma disfunção do organismo. Os sintomas em questão, causados pela substância presente na cerveja mineira, são manifestações renais e neurológicas associados à intoxicação. De acordo com o neurologista João Eudes Magalhães, que atua no RealNeuro (Instituto de Neurologia, Neurocirurgia e Coluna do Real Hospital Português), os casos que ocorrem em Minas Gerais estão dentro do conjunto de intoxicações exógenas, causadas pela entrada de substâncias estranhas e tóxicas no organismo. “A mais comum é a intoxicação alcoólica, após ingestão de quantidades exageradas de bebidas alcoólicas. Mas qualquer tipo de substância, medicamentos, drogas ilícitas, quando utilizadas em doses não recomendadas, pode causar intoxicação”, explica o médico.


Os sintomas da síndrome nefroneural são característicos. No caso do dietilenoglicol, quando ingerido, acumula-se rapidamente nos rins, fígado, cérebro e nervos. Os primeiros sinais, portanto, são náuseas, vômitos, dor abdominal, diarreia sonolência e confusão mental. De um a três dias, alguns pacientes podem perder a função dos rins, a produção de urina é diminuída e é preciso a realização da diálise. Por causa das disfunções do fígado e dos rins, outras manifestações podem ocorrer no corpo, como alterações da pressão arterial e piora das alterações neurológicas, podendo levar ao coma.


Caso a síndrome não seja tratada em cinco a 10 dias, as disfunções neurológicas pioram: há perda visual e auditiva, fraqueza dos músculos da face e da deglutição, paralisia dos músculos que movimentam os braços e pernas até a paralisia dos músculos da respiração. “Todo o quadro é grave e se não tratado rapidamente, pode causa a morte em qualquer momento. Infelizmente os efeitos tóxicos são graves e os sobreviventes podem ficar com sequelas incapacitantes”, complementa Magalhães.


O diagnóstico é feito através da análise dos sintomas. Segundo o especialista, é um procedimento difícil, visto que existem infecções que afetam os mesmos órgãos e podem desenvolver sinais parecidos, como dengue, leptospirose ou até mesmo uma infecção urinária grave. Geralmente casos de intoxicações acontecem em surtos. A vigilância epidemiológica deve estar sempre atenta a casos semelhantes que comecem a ocorrer em uma mesma região, como foi o caso da cerveja em Minas Gerais.


Em relação ao tratamento do problema, João Eudes comenta que os sintomas apresentados pelos pacientes devem ser cuidados com medidas que exijam terapia intensiva, hidratação, tratamento dos vômitos e diálise, por exemplo. No caso específico da ingestão do dietilenoglicol, existe a possibilidade do uso de etanol, que age como um inibidor dos efeitos da substância tóxica. Outra opção é a própria diálise, que realiza a retirada do composto químico do organismo.


Para prevenir a síndrome nefroneural, deve-se evitar o contato com substâncias tóxicas e utilizar medicamentos e outras substâncias em doses seguras. Quanto ao dietilenoglicol, são necessárias medidas de controle rigoroso do seu uso na indústria para evitar a contaminação de produtos, como foi o caso da cerveja da Backer. “Dessa forma, recomenda-se não utilizar ou ingerir produtos que não tenham procedência conhecida ou que não passaram por qualquer forma de fiscalização em sua produção. No caso de sintomas de intoxicação, deve-se procurar um serviço de urgência imediatamente.”, finaliza o neurologista.

#síndromeneufroneural #RealNeuro #CervejaBelorizontina #CervejariaBacker

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar