• Cristiane Sales

Prefeitura do Recife promove ações educativas contra o mosquito Aedes aegypti


No Recife, a programação da Semana Nacional de Mobilização Contra o Aedes inclui exposição, visitas domiciliares e atividades lúdicas


Para marcar a Semana Nacional de Mobilização Contra o mosquito Aedes aegypti, a Prefeitura do Recife preparou diversas atividades educativas e de prevenção, que estão acontecendo em várias áreas da cidade. Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) da Secretaria de Saúde do Recife estão participando das ações em escolas, unidades de saúde, praças e outros locais de grande circulação de pessoas sobre prevenção às arboviroses, que são as doenças transmitidas por mosquitos, como dengue, chikungunya e zika, por exemplo. A programação está disponível no site da Prefeitura do Recife (www.recife.pe.gov.br).


Nesta quinta-feira (5), haverá palestras sobre prevenção às arboviroses, com distribuição de folders, no Pan Centro, na Boa Vista. Também haverá mobilização educativa na Escola Municipal Rozemar de Macedo Lima, em Casa Amarela. Na Escola Municipal Carlúcio Castanha Júnior, no Ibura, haverá atividades lúdicas, como apresentação do teatro com fantoches, exibição de vídeo, trilha e roleta educativa, além de panfletagem e orientações sobre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.


Ainda na quinta, nos bairros de Areias, Curado e Jardim São Paulo, os Asaces farão mutirão de controle do mosquito, com visitas às casas, para eliminação dos possíveis criadouros, e orientações para evitar a proliferação do transmissor da dengue, chikungunya e zika.


Na manhã da sexta (6), os profissionais de Vigilância Ambiental farão mobilização em grandes avenidas, com a entrega de panfletos e orientações sobre como prevenir as doenças. Uma delas acontecerá no Segundo Jardim, em Boa Viagem. No mesmo dia, à, tarde, na Praça do Trabalho, em Casa Amarela, haverá uma exposição mostrando o ciclo biológico do mosquito; atividades lúdicas e orientações gerais sobre as arboviroses.


ENFRENTAMENTO


Além das ações de rotina dos Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) em todos os bairros da cidade, para controle do vetor da dengue, chikungunya e zika, o Recife também incorporou outras alternativas aos seus Planos anuais de Enfretamento às Arboviroses, como a ampliação do uso das ovitrampas para monitoramento dos ovos dos mosquitos e a instalação de Estações Disseminadoras, que são uma espécie de armadilha na qual os mosquitos pousam e espalham o inseticida nos criadouros. Ainda este mês, a Secretaria de Saúde do Recife vai lançar o Plano Municipal de Enfrentamento às Arboviroses.


Somente de janeiro a setembro de 2019, os Asaces da Prefeitura do Recife visitaram mais de 1,5 milhão de imóveis e quase 16 mil pontos estratégicos de monitoramento. Ainda foram implantadas 17 Brigadas de Combate ao Mosquito em instituições públicas e privadas, para engajar a sociedade civil na luta para reduzir os focos de Aedes, com 63 brigadistas treinados para identificar e eliminar de focos, 1.133 ações educativas realizadas, além do recolhimento de 31.449 pneus em desuso que poderiam servir de criadouro para as larvas do mosquito.


Desde novembro de 2017, foram implantadas mais de 130 brigadas, com mais de 760 brigadistas treinados com o objetivo de engajar a sociedade civil no combate aos focos do Aedes aegypti. Neste período, as equipes de Vigilância Ambiental instalaram 250 ovitrampas nos oito distritos sanitários do município, em lugares como o edifício-sede da Prefeitura, colégios, nos dois Centros Comunitários da Paz (Compaz), em clubes como o Náutico, entre outras instituições.


Outra inovação é a utilização da tecnologia do mosquito estéril para reduzir a reprodução do inseto, esterilizando os machos e liberando-os no meio ambiente. Também foi criado um incentivo financeiro para aumentar a produtividade dos Asaces.


Como forma de informatizar o trabalho dos Asaces, a Prefeitura do Recife também utiliza o aplicativo Saúde Ambiental Digital para mapear os focos dos insetos transmissores de doenças. Em outubro, a ferramenta foi uma das premiadas no 47º Seminário Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação para Gestão Pública, em Brasília. Desenvolvida pela Empresa Municipal de Informática (Emprel), a ferramenta dá mais agilidade e qualidade na identificação da presença de focos do mosquito, na coleta de dados, transmissão e consolidação das informações.


#Aedesaegypti #Dengue #Zika #chikungunya #Arboviroses #PrefeituradoRecife #Sesau

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar