• Cristiane Sales

Fórum Perinatal Estadual discute rede de saúde materno-infantil


Encontro acontecerá no dia 12 de novembro, na sede da SES-PE

Com o objetivo de reunir profissionais e gestores envolvidos na rede de cuidados e assistência materno-infantil, a Gerência de Atenção à Saúde da Mulher da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) promove, na próxima terça-feira (12/11), o Fórum Perinatal Estadual. No encontro, palestrantes e público-alvo discutirão e pactuarão propostas para uma rede de cuidados integral e humanizada e atenção às mulheres e aos recém-nascidos em Pernambuco, além de compartilhar experiências de superação e projetos exitosos implementados nos seus territórios. As atividades acontecerão das 8h às 12h, no auditório da sede da SES, no Bongi, Zona Oeste do Recife, com transmissão por videoconferência para as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres). Os interessados podem se inscrever através do link: encurtador.com.br/brY27. Com o tema "Boas práticas transformando e qualificando a assistência materna e infantil", o Fórum Perinatal deve reunir setores estratégicos da rede de serviços, além de instituições formadoras, conselhos de saúde, conselhos profissionais e sociedade civil para promoção da saúde e qualidade de vida da mulher e da criança. "As boas práticas de atenção ao parto envolvem ações de humanização da assistência, sendo um conjunto de diretrizes e estratégias que garantem o nascimento seguro e sadio, com melhores resultados não só para o bebê, mas também para a mãe. Queremos discutir, no Fórum, os desafios da rede e as estratégias que devem ser implementadas em articulação pelos serviços, com foco nos principais problemas e nas prioridades de atuação dos diversos setores componentes do Sistema Único de Saúde e da sociedade", pontua a gerente de Atenção à Saúde da Mulher da SES, Letícia Katz. Na pauta da programação, debate sobre o termo de cooperação técnica entre Governo de Pernambuco e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), acordo que atuará em prol da saúde da mulher e da criança em Pernambuco, apresentação de experiências exitosas dos municípios e Estado, discussão sobre o Programa Mãe Coruja Pernambucana e apresentação de projetos das secretarias de saúde dos municípios de Arcoverde, Olinda, Recife e Surubim. "As atividades reafirmam o compromisso da Política Estadual de Atenção Integral à Saúde da Mulher: estruturar ações de saúde que contribuam com a garantia dos direitos das mulheres e seus filhos, promovendo a autonomia e a redução da morbimortalidade por causas previsíveis e evitáveis", finaliza Katz.


OPAS


O Governo de Pernambuco firmou, em julho, o termo de cooperação técnica em saúde com a Organização Pan-Americana de Saúde da Organização Mundial da Saúde (OPAS/ OMS) visando a qualificação do modelo de atenção à Saúde em Pernambuco. O foco será na melhoria da rede de atenção obstétrica e neonatal precoce e no controle do câncer de colo de útero. A cooperação técnica, que terá duração de cinco anos, é uma das estratégias do Governo para reduzir a mortalidade materna em Pernambuco, bem como para promover a vinculação obstétrica (capacidade para que a gestante saiba, com antecedência, a maternidade de referência para seu parto na região de saúde em que reside), além da redução da incidência de casos de câncer de colo de útero no Estado. O projeto será dividido em três módulos, que ocorrerão paralelamente: diagnóstico, intervenção e monitoramento. A atuação da Opas/OMS contará com consultores internacionais e nacionais que apoiarão os processos de transferência de experiências e conhecimentos, e irão capacitar profissionais e gestores pernambucanos em todas as regiões do Estado.


Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar