banner1.jpg
  • Cristiane Sales

Recife apresenta experiência no controle do Aedes aegypti, em feira no Ceará


Foto: Ikamahã/Sesau

Algumas ações poderão ser implantadas nos programas de controle do mosquito em outras cidades do País


A Secretaria de Saúde (Sesau) da Prefeitura do Recife apresentará, nesta sexta-feira (18), a experiência no controle do mosquito Aedes aegypti na capital pernambucana, dentro da 3ª Feira de Soluções para a Saúde, em Fortaleza, promovida pela Fiocruz. O convite foi feito pelo Ministério da Saúde, que estuda a possibilidade de implantar algumas dessas ações nos programas de controle do mosquito.


O trabalho será apresentado pelo secretário de Saúde, Jailson Correia, e pela diretora-executiva de Vigilância à Saúde, Joanna Freire, no Centro de Convenções do Ceará, onde haverá o seminário “Controle das arboviroses: inovações aplicadas”. A Sesau dividirá a mesa com outros projetos que serão apresentados, como os da Fiocruz e da Secretaria de Saúde de Belo Horizonte.


Além das ações de rotina dos Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) em todos os bairros da cidade, para controle do vetor da dengue, chikungunya e zika, o Recife também incorporou outras alternativas aos seus Planos anuais de Enfretamento às Arboviroses, como a ampliação do uso das ovitrampas para monitoramento dos ovos dos mosquitos e a instalação de Estações Disseminadoras, que são uma espécie de armadilha na qual os mosquitos pousam e espalham o inseticida nos criadouros.


Outra inovação é a utilização da tecnologia do mosquito estéril para reduzir a reprodução do inseto, além da implantação das Brigadas Contra o Mosquito em instituições públicas e privadas, para engajar a sociedade civil na luta para reduzir os focos de Aedes. Também foi criado um incentivo financeiro para aumentar a produtividade dos Asaces.


A Prefeitura do Recife também utiliza o aplicativo Saúde Ambiental Digital para mapear os focos dos insetos transmissores de doenças. No último mês, a ferramenta foi uma das premiadas no 47º Seminário Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação para Gestão Pública, em Brasília. Desenvolvida pela Empresa Municipal de Informática (Emprel), a ferramenta dá mais agilidade e qualidade na identificação da presença de focos do mosquito, na coleta de dados, transmissão e consolidação das informações.


Em 2016, na época da tríplice epidemia, durante visita à capital pernambucana, representantes da Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceram o Recife como referência mundial nas ações de enfrentamento às arboviroses.


FEIRAS


As Feiras de Soluções para a Saúde surgiram em 2017, a partir do projeto Plataforma de Vigilância de Longo Prazo para Zika vírus e microcefalia no âmbito do SUS, sob a responsabilidade da Fiocruz Brasília e do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para a Saúde (Cidacs/Fiocruz).


A primeira edição da Feira de Soluções para a Saúde, promovida pela Fiocruz, foi realizada em Salvador, em 2017, com tema específico relacionado ao combate à zika e às síndromes congênitas. Em abril deste ano, a segunda edição da Feira foi realizada em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, com o tema Saúde Única para Territórios Saudáveis e Sustentáveis. As soluções cadastradas em ambos eventos estão disponíveis na internet, já que uma das propostas da Feira é justamente montar um banco de soluções para a saúde, organizado por área de atuação.


#Arboviroses #Zika #Aedesaegypti #chikungunya #Dengue #Sesau #Fiocruz #OMS #ministériodasaúde

Artigo02.png
banner2.jpg
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo