• Rebeka Gonçalves

Hipertensão acomete cerca de 36 milhões de pessoas no Brasil


Mais de 60% dos idosos são afetados com o problema


Infarto, acidente vascular cerebral (AVC), doenças renais e obstrução das artérias do pescoço são alguns exemplos do que pode acontecer com um paciente hipertenso em situações extremas. Por isso, quando a saúde não vai bem e sintomas como visão turva, tontura ou dores de cabeça surgirem, aferir a pressão do paciente é um dos primeiros procedimentos a ser feito para saber se o que está causando o mal-estar tem relação com hipertensão.


“Hipertensão arterial (HA) é condição clínica multifatorial caracterizada por elevação sustentada dos níveis pressóricos maior que 140 e/ou 90 mmHg. Há uma associação direta e linear entre envelhecimento e prevalência de HA. Também há maior incidência com o aumento de peso, ingestão de sal, consumo crônico e elevado de bebidas alcoólicas, sedentarismo e questões genéticas”, esclarece a cardiologista, Isabelle Machado.


No Brasil, a hipertensão atinge 32,5% dos adultos – cerca de 36 milhões - e mais de 60% dos idosos, contribuindo direta ou indiretamente para 50% das mortes por doença cardiovascular. Estudos realizados no país incluindo 13.978 idosos mostraram 68% de prevalência de hipertensão arterial.


“Um dos grandes problemas da hipertensão arterial é o fato dela ser assintomática até fases muito avançadas da doença. O fato de algumas pessoas terem dor de cabeça ou mal-estar quando apresentam pressões arteriais muito elevadas não significa que tenham HA, elas podem simplesmente ter picos de pressão assintomáticos”, explica a especialista.


O diagnóstico é realizado através da medição da pressão arterial utilizando a técnica e o equipamento adequados, avaliação do histórico pessoal e familiar, exame físico, investigação clínica e laboratorial. O tratamento é feito através da abordagem terapêutica da pressão arterial com medidas não medicamentosas e uso de remédios para controle da pressão, a fim de reduzi-la e proteger órgãos como o rins, olhos, cérebro e coração.


A dona de casa, Selma Régis, relata como descobriu que era hipertensa. “Descobri quando fui fazer uma cirurgia e pediu o parecer cardiológico, aí marquei a consulta com a cardiologista para ela confirmar que estava apta para fazer a cirurgia, mas quando cheguei lá, a médica aferiu minha pressão e perguntou se eu era hipertensa, porque a minha pressão estava um pouco alta. Depois de uma semana, voltei ao consultório para aferir a pressão, mas ainda deu alta. E na terceira vez, ainda estava alta. Então, fui fazer o teste, o Holter, para ficar medindo a pressão. E quando voltei para mostrar o resultado a médica, então ela diagnosticou que a minha pressão oscilava muito, e comecei a tomar o remédio, aí ela liberou que eu fizesse a cirurgia. E até hoje, eu tomo esse remédio”, relembra.


A melhor forma de prevenção, além da utilização de medicação adequada e contínua no caso de hipertensos, é adotar hábitos saudáveis, alimentação rica em frutas, oleaginosas -amendoim, milho, soja –, sais minerais e a prática de exercícios físicos.


Hábitos saudáveis para hipertensos


1) Alimentação


Diminua o sal da comida; nunca ultrapasse 6 gramas por dia, ou seja, uma colher de chá para toda a alimentação diária. Use temperos naturais, como limão, cebola, alho e cheiro verde.


2) Peso


O excesso de peso tem grande relação com o aumento da pressão. Portanto, se você está com o peso acima do normal, ou seja, seu índice de massa corpórea é superior a 25 kg/m².

Veja como calcular o índice de massa corpórea utilizando a seguinte fórmula:

Peso/(Altura x Altura) = Índice de Massa Corpórea


3) Sedentarismo


Passe a fazer regularmente uma caminhada de, no mínimo, trinta minutos todos os dias ou, pelo menos, quatro vezes por semana.

Os melhores exercícios para hipertensos são: caminhar, nadar, correr e andar de bicicleta.


4) Bebidas alcoólicas


O consumo excessivo de bebidas alcoólicas eleva a pressão arterial. Por isso, os homens não devem ultrapassar o limite diário de 60 mL de bebidas destiladas (uísque, vodca, aguardente, etc.), ou 240 mL de vinho, ou 720 mL de cerveja. As mulheres e pessoas de baixo peso devem limitar a ingestão de álcool à metade da quantidade permitida aos homens.


5) Tabagismo


Abandonar o tabagismo deve ser a primeira providência do hipertenso, pois é o mais importante fator de risco, sendo responsável por 1 em cada 6 óbitos. A nicotina aumenta a pressão arterial e acelera a progressão do depósito de gorduras nas paredes das artérias.


6) Estresse


As causas do estresse podem variar de acordo com o indivíduo. O melhor a fazer é, se possível, identificar o motivo gerador de tensão e eliminá-lo. Na impossibilidade, deve-se procurar encarar a situação com mais leveza e/ou ajuda profissional, como um psicólogo.


7) Atividades de lazer


Descubra uma atividade que lhe dê prazer. Ler um livro, pintar um quadro, bordar, participar de atividades sociais ou de grupos de relaxamento são ocupações que geram bem-estar. Invista suas energias na atividade que mais lhe agradar.

#AVC #DoençasRenais #hipertensão #HipertensãoArterial #Infarto #saúde #SaúdeeBemEstar

Artigo02.png
WhatsApp Image 2020-10-07 at 11.28.55.jp
Banner01.png
Arquivo

Copyright © 2018 Saúde e Bem Estar